“eu te amo”


O simples é mais. Dizer “eu te amo”, é tão simples. E por isso mesmo é tão difícil. É como aquela equação de matemática que encontramos resolvida e pensamos: “por quê não pensei nesta solução antes?”. “Por que eu não disse simplesmente que a amava?”. Mas o amor, boa parte de nós já sabemos, nem sempre vem acompanhado da razão. E tentando dar razão a ele ou simplesmente por que não o compreendem muitas vezes fazem o uso banal do “eu te amo”. Como fazem da palavra “amigo”. Como se banaliza tudo por que simplesmente não se conhece as dimensões das palavras. E, logo, das suas consequências.

O sentido e significado do amor, poucos poetas e escritores conseguiram definir de forma satisfatória, talvez apenas os que, por não serem apenas poetas mas que viveram como tal, tenham chegado mais perto deste mundo simples, louco e muitas vezes sem sentido.

E acho que é a partir daí que o “eu te amo” pode ter algum significado. O viver das palavras. Muitos citam as ações, demonstrações de carinho, gestos, etc. Sim, são todos eles muito importantes e ampliam e marcam fortemente as palavras e reforçam os sentimentos. Mas gosto também da contemplação do “eu te amo” e que nem sempre é mencionado.

Contemplar também é viver. Ficar sentado num café apreciando uma leitura e vendo pais e filhos conversando com aquele olhar de proteção e carinho, ou ouvir uma mulher chorando ao telefone celular enquanto fala com o babaca do namorado que não acredita que ela esteja sendo sincera com ele, ou ver um cara solitário que está naquele lugar por que precisa, mas que queria mesmo era estar em volta daqueles que o amam e ele, muitas vezes tem medo em afirmar isso.

A contemplação do “eu te amo” vem ainda de um simples olhar para a mulher amada. Há algo melhor que ver sua amada olhando-se no espelho enquanto se arruma por horas para estar linda para você? E naquele exato momento, quando ela pensa que você nem está notando a presença dela, você diz baixinho, como que para você mesmo: “eu te amo”. E ela, sem nem mesmo ter ouvido você, volta-se e lhe dá um sorriso. Um simples e mais lindo sorriso.

Quando as palavras chegam, os sentimentos já foram vividos e contemplados. O “eu te amo” permite que eles sejam prolongados. Os mais sinceros, duram até o fim. E podem até ir além. Até que os olhos se fechem. Até mais longe que isso. Ninguém deixa alguém que ama. Ninguém permite que aquela que se ama simplesmente vá embora. Se o que foi vivido e contemplado foi amor sincero, então não há nada mais forte que isso. Nada justifica, exceto que seja banal.

Música do post:

If You See Her, Say Hello – Bob Dylan

Anuncios

7 comentarios el ““eu te amo”

  1. Não se deixa quem se ama, porque simplesmente não há forças para isso, já que o amor é a força maior.
    “Se o que foi vivido e contemplado foi amor sincero, então não há nada mais forte que isso.”
    Perfeito. Hoje eu precisava ler isso. Obrigada por escrever..

  2. Marcio,

    estou pensando em fazer um blog mas não entendo disso e gostaria de uma pequena ajuda…eu posso colocar vídeos facilmente? E se algum dia eu não querer mais? Posso cancelá-lo rápido e sem problemas? Pergunto porque nunca gostei de nada disso…tive orkut e facebook. Um mandei cancelar, o outro nunca mais acessei e até esqueci como acessá-lo. Obrigado.

  3. “Um mais um igual a dois,
    Dois sem um igual a um,
    Um sem um igual a nada.”
    Autor desconhecido

    Virei visita assídua rsrsrsrsr
    Estou adorando…
    Abraços

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s