silêncio


Agora partia da sua alma o desejo do silêncio. Enquanto retira seu coturno observa as pedras presas no solado. Elas não o incomodavam. Eram lembranças das trilhas por onde passou. No máximo riscavam o piso por onde ele caminhava. Está cansado demais para continuar a preparar-se para um banho. De camisa branca e calça, ergue-se apenas para abrir uma garrafa de um vinho qualquer. Um vinho de batalha. O aroma e o sabor tornam-se ainda mais perceptíveis devido as trinta e três horas e sessenta e sete quilômetros de caminhada sem acender um único cigarro. Culpa da chuva, pensou ele.

Vai até a mesa do escritório e pega um Marlboro vermelho. Desta vez, seco. Observa algumas fotografias sobre a mesa e logo volta para a cama. Quer descanso. Importa-se um caralho com as roupas molhadas e cobertas de lama sobre aqueles lençóis limpos. Só quer sentir orgulho de si mesmo. Dois ou três goles de vinho e lembra que apenas se meteu naquela caminhada insana por que precisa colocar-se à prova. Tal como nas religiões, castiga seu corpo. A alma já estava em pedaços. Sente-se bem. Depois de meses, talvez anos, por fim a sua alma teve um descanso. Que seja a vez do corpo agora.

Há sangue. Não importa. A dor o faz sentir-se vivo. “Nunca fiz nada que tenha sido significativo sem conhecer o inferno antes”, recorda-se. É a sua história. Nada poderia o deter agora. Sua alma se reconstruía pela dor que o seu corpo absorvia. Finalmente o silêncio partia de dentro dele. O inferno, nem sempre são os outros. Noites de insônia ficariam para trás. O inferno o fez bem. Sua alma agradece. Um azul começa a ser notado, mas “voltarei lá se necessário”. Enxuga com a camisa o suor e remove a terra dos olhos. Desmaia de dor.

Anuncios

Un comentario el “silêncio

  1. Lindo seu texto. Ele poderia estar chegando do caminho de Santiago, de um dia terrível de trabalho, ou de uma das minhas provas de aventura (sinto exatamente isso quando chego). Tanto faz, mas o inferno, Sartre que me desculpe, mas eu sempre acreditei que somos nos. E uma taca de vinho, seja no ceu ou no inferno, e bem merecido. “Voltarei se necessário” Apenas quem sentiu o prazer de completar um esforço fora do comum e infernal ,sabe o que e isso.

    ate mais,beijos*

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s