no direction home


De volta. Por que não escrever pode matar. Quando não escrevo não leio. O que torna tudo ainda pior.

Apaguei meu blog anterior, o Pimenta nos Olhos, e perdi tudo. Não fiz cópia de nada. Isso faz parte de mim. Construir para destruir. E construir tudo de novo depois. Me sobraram apenas uma crônica que haviam imprimido e me presentearam como quem diz “hei, lembra que foi você quem fez isso?”. E mais importante ainda, me sobraram alguns ótimos amigos leitores.

Tentei voltar algumas vezes antes, mas somente ontem me disseram “volte a escrever”, acima de tudo por que você é interessante. E é o que estou tentando fazer aqui, escrever algo que interesse a vocês.

Eu não sei se tinha um estilo para escrever. Bons escritores possuem um estilo. Não acho que era um deles. O que eu fazia era apenas colocar para fora as minhas percepções do que havia vivido, do que observava outros viverem.

Lembro que escrevi muitas vezes como considerava Salvador um bordel. Um lugar onde se vende a ilusão da alegria através de pessoas que quando voltam para suas casas não possuem motivo algum para estarem sorrindo. Continuo com a mesma idéia. Mas algumas coisas mudaram. E vamos tentar descobrir isto mais a frente.

Voltei para o bordel, depois de três anos do outro lado da Cordilheira, e vejo suas meninas sendo maltratadas por seus amantes e maridos. Não apenas aqui, em Salvador, mas em outras partes. Inclusive do outro lado da Cordilheira ou do Atlântico, onde também estive por um período. Não sei o que está acontecendo, de verdade. Mas penso que o que elas querem é apenas sorrir sem medo e sem culpa. E muitas vezes não sabemos fazer o mais simples: fazê-las sorrir. Deixar que o perfume delas nos invadam, dividir um medo, uma culpa, um carinho ou simplesmente rir com elas.

Todas as coisas que não deviam acontecer, aconteceram. O que vem depois, depende de você. Nos perdemos muitas vezes pelo caminho, mas se não formos tão longe, temos como voltar. Mais uma vez, depende de você.

Escrevo agora de uma nova perspectiva, e as perspectivas mudam sempre que vivemos novas experiências. Então não sei o que vocês irão encontrar aqui pelo simples motivo de que eu realmente não sei sobre o que irei tratar. Deixemos sem uma direção agora. Deixemos que os ventos digam o caminho que iremos seguir. Por que o momento pede isso.

Anuncios

8 comentarios el “no direction home

  1. Seja bem-vindo, caro Pimenta!

    Eu nunca teria coragem de apagar meu blog sem salvar meus textos, mas se isso colaborou para alguma transformação sua, ótimo. 🙂

    Não precisamos de alguma direção para escrever. Nossas palavras vão construindo o que queremos falar. Então escreva, pois você tem muito o que escrever e nós queremos muito ler o que aparecer por aqui.

    Abração!

  2. Muitas vezes é necessário deixar que o vento e o tempo se encarreguem de nos guiar. Mas nem sempre. Ora, tomamos a direção, ora conduzidos somos. O destino precisa ser só um: A FELICIDADE. Porque Deus não teve tempo de preparar caminhos infelizes, então eles sempre são curtos demais. Nós é que os alongamos muitas vezes. 😉
    Adorei o texto, acompanharei os rumos que as novas perspectivas irão tomar! E fico na torcida para que seja uma época de farta colheita positiva, e que você possa nos brindar com suas palavras. Não se cale jamais.
    beijos da tua amiga, Quê

  3. Acho que o que torna alguém um verdadeiro escritor não é um estilo, mas a vontade visceral de escrever. E nem preciso comentar mais nada.

    Bem-vindo novamente!

  4. Pimenta, eu parei de atualizar o Poucas já tem alguns meses, por causa de alguns trabalhos que estou envolvida. Porém, esse período está me servindo para tentar reinvenar o antigo, ou pelo menos, tentar.
    Você fez algo que morro de vontade de fazer… construir para destruir e construir novamente… mas não tenho coragem demolir algo que para mim… era ou é sólido.
    Muito feliz que tenha voltado a escrever, a blosfera não podia perder uma pessoa que escreve como se estivesse conversando em uma roda de amigos em Salvador ou no Chile.
    Bom retorno!

    Mari Valadares

  5. Olá!
    Que bom que resolveu voltar. Eu também escrevo bem pouco agora, mas de vez em quando dá uma enorme vontade de escrever.
    Quanto a apagar o blog, há sempre um lado positivo: o desapego primeiro, e então a possibilidade de escrever novamente sobre tudo aquilo que já havia escrito, sem a sensação de ser repetitivo.
    Estarei por aqui lendo.
    Beijos.

  6. Estou feliz por ter voltado. Seu blog, alem de lindo esta ainda melhor. Alguma inspiração no ar nos trouxe de volta. Eu também resolvi voltar ao blog e a minha coluna na http://www.vsvmagazine.com.br . Os mestres se vao, mas a vida por aqui, vai continuar sem ponto final, como ele gostaria. beijos e seja bem vindo

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s